Planejamento estratégico na prática

Planejamento estratégico na prática - Imagem 1 Planejamento estratégico na prática - Imagem 2

INTRODUÇÃO

 

Definir o melhor caminho a ser seguido pela empresa num cenário turbulento como este que atualmente vivemos é, sem dúvida, um dos desafios mais complexos, mas que tem como ferramenta determinante o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.

 

Recurso de grande valia, o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO serve para subsidiar o empresário no desenvolvimento de um instrumento de gestão que propiciará maior assertividade na condução da atividade empresarial.

 

O planejamento garante à empresa a capacidade de definir e estabelecer suas principais ações de forma, organizada e disciplinada, permitindo que seus objetivos sejam alcançados levando a organização à uma posição diferenciada no futuro.

 

“O fundamental numa aventura é o planejamento.” (Amir Klink)

 

POR QUE O PLANEJAMENTO TEM QUE SER ESTRATÉGICO?

 

A ESTRATÉGIA descreve a direção da empresa em termos de produto/mercado, os resultados que ela pretende alcançar (geralmente em termos financeiros/contábeis) e como ela pretende atingir esses resultados.

 

A tomada de decisão é impulsionada pela MISSÃO a que se destina, ao “alvo” que se quer atingir e quando se trata de uma empresa, definir sua missão é estabelecer o alcance de resultados diferenciados que de fato façam a diferença, que surpreenda seu cliente final e motive seus parceiros diretos ou não a se sentirem, de fato, parte integrante dessa organização.

 

É PRECISO TER UM “PLANO DE VÔO”

 

O sucesso do Planejamento Estratégico é garantido através do pleno conhecimento de que a organização possui seus pontos fortes e fracos, de sua destreza em identificar e tratar oportunidades e ameaças no mercado.

Atrelado a isso, ser capaz de definir seus Fatores Críticos de Sucesso – FCS, ou seja, definir quais são os seus diferenciais, no que  a empresa se destaca da concorrência, por quais fatores é reconhecida positivamente por seus clientes. Identificar e tratar devidamente estes fatores faz toda a diferença.

 

TRAÇAR OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

 

Não há comprometimento sem motivação, a organização que sabe AONDE QUER CHEGAR, certamente traz seus objetivos devidamente definidos e tem todo seu corpo funcional mobilizado para tal. Entretanto, definir apenas objetivos não é o suficiente para garantir que tenhamos sucesso nos resultados.

 

PLANO DE AÇÕES

 

A estratégia está em se administrar de forma PLANEJADA. 

O PLANO DE AÇÃO determina: O QUE será feito, QUEM o fará, QUANTO vai custar, QUANDO será iniciado e concluído, POR QUÊ deve ser feito, ONDE será e COMO desenvolver as etapas do processo.

Cercar todas as possibilidades de garantias para que o sucesso aconteça. 

É um processo de gestão disciplinar, já que promove permanentemente um monitoramento das etapas do processo em questão, além de contribuir na melhoria contínua dos resultados.

 

INDICADORES DE DESEMPENHO

 

O INDICADOR DE DESEMPENHO não é como qualquer outro indicador. Ele precisa estar orientado para a saúde operacional da empresa, ou seja, só se pode afirmar que um indicador é de desempenho quando o desempenho melhora e o resultado operacional do negócio também melhora.

 

É importante entender a importância dos OBJETIVOS ESTRATÉGICOS e dos INDICADORES DE DESEMPENHO.

 

Os indicadores de desempenho são uma ferramenta de comunicação estratégica e base para um sistema de gestão empresarial e de melhorias.

 

RESPONSABILIDADE GERENCIAL

 

Por fim fechamos esse ciclo com um item de extrema importância: a RESPONSABILIDADE GERENCIAL, onde o gestor vem para alavancar e impulsionar a equipe a manter o foco voltado para os propósitos estabelecidos, através de uma condução segura, que reconhece e valoriza, incentivando e facilitando os caminhos rumo aos resultados almejados.

 

Ano Novo, Vida Nova!

 

Que possamos aproveitar a OPORTUNIDADE do novo ciclo que se inicia e praticar estes conceitos em nossas organizações.

 

Atenciosamente,

Maria Aparecida Frade Pires

Psicóloga.